Pular para o conteúdo principal

Vejo (Pris Jardim)


Pela fresta da janela vejo a vida passar.
Vejo tudo pelo meio
Vejo meia moça passar apressada
Vejo meio homem esbravejar
Vejo meia flor e vejo meio amor.
Não tenho coragem para abri-la inteira, então vou vendo tudo pelo meio.
Me escondo do mundo para não ser descoberta.
As pessoas passam às pressas, e eu, vejo tudo pela fresta.
Mais como ter certeza do que vejo, se tudo que vejo é pelo meio.
Meia vida não dá pra viver, então me encho de razão e escancaro.
Me abro para vida, para as emoções, para as frustrações.
Agora vejo tudo com clareza.
Vejo o amor por inteiro.
Percebo os detalhes, as flores que brotam e florescem.
A moça apressada que corre para seu amado.
O homem rabugento que não vê a hora de chegar ao aconchego de seu lar.
O rapaz a passear, a criança a brincar...
A vida agora tem mas cores e eu vivo com a janela aberta, sem medo de me notarem.
Afinal, a vida pela metade não tem graça, o bom mesmo é escancarar.

Pris Jardim

Comentários

ValeriaC disse…
Pris minha linda...voce é o botão de rosa que lindamente desabrochou...ameiiiiii
Iluminado e cheio de sensibilidade seus versos amiga...parabéns!!!
Doce dia...beijinhos...
Valéria
Alma Aprendiz disse…
É isso amiga!
Vamos escancarar também a porta do coraçao para que possamos ver e sentir tudo que é belo.
Beijos querida!
claudia disse…
Priscila parabéns pela reflexão...a vida tem que ser vivida assim mesmo escancarada para podermos aproveitar todos os momentos que ela nos proporcionar...imenso beijo

Flávio

Postagens mais visitadas deste blog

Poema de Cora Coralina

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina

Eu e o Tempo ( Pris Jardim)

Vou andando... ...caminhando Vejo o novo Aprendo com o velho
No riacho desfaço meu cansaço Vejo o peixe, o pássaro Retomo o passo
Perambulo no tempo Me perco Me acho E volta o cansaço
Agora as pernas falham O lho o espaço Conto o que aprendi Revejo o que vivi
Descanso me refaço Ando e paro Agora me desfaço
Pris Jardim

A Criança e o Adulto

A criança brinca com seu brinquedo distraída, o adulto olha atento a criança que está brincando e perdida em seus pensamentos.
Seus pensamentos na verdade são sonhos, enquanto brinca realiza o desejo de um futuro certo para ela.
O adulto olha a criança e se lembra de quando era criança, de seus sonhos e certezas e de como tudo ficou diferente e pensa: " Santa ingenuidade que nos faz tão bem, bom seria ser criança que não pensa, só brinca".
A criança olha o adulto e pensa: "Que bom que seus sonhos se realizaram e ele agora só pensa que tudo deu certo".
Ambos se entre olham e sorriem, a criança volta a brincar e a sonhar e o adulto volta a observar a criança e a suspirar: " Santa ingenuidade".

Pris Jardim