Pular para o conteúdo principal

Sonhos de um Anjo ( Pris Jardim) Parte 8


- Beto, eu aprendo tanto com você!
- Fico feliz de saber, e mais feliz ainda por saber que meu trabalho não está sendo em vão.

Eu tinha aprendido tanto com ele, eu não usava mais nenhum tipo de droga. Todos os meus amigos tinham se afastados de mim, os únicos que permaneceram foram a Sami e o Hiroshi que apesar de serem “maluquinhos”, eram totalmente “caretas”.
Logo depois dessa conversa que tive com o Beto, o telefone tocou...

- Deixe, eu adivinhar Angel, disse Toninho: era a Sami te chamando para mais uma aventura!?
- Adivinhão!!! Disse Angel, sorrindo.

- ...alô!? Sami?
- Angel, você pode sair agora?
- Posso, por que?
- O Hiroshi me convidou para ir a uma exposição de Mangás com ele. Vamos?
- Mas que negócio é esse de Mangá?
- Sei direito não! É um tal de gibi japonês!
- Não sei não Sami... deve ser chaaato, mas vou arriscar!
- Ôba!!! Já já estou por aí então com o Hiroshi.

Três horas depois...
- Sami? Que roupa é essa?
- Fala, Angel ?! Minha gata não está linda? Respondeu Hiroshi.
Fiquei de boca aberta quando vi a roupa da Sami. Mas daqueles dois, eu sempre esperava de tudo.
- Obrigada gato! Disse Sami. – E Angel, esta é uma roupa típica das meninas retratadas nos Mangás, é só uma roupa de colegial japonesa!
- Só se for de colegial tarada, né? Olha só o tamanho dessa saia com pregas! E esse decote então? – disse Angel boquiaberta. (*olhar imagem de referência no final da página)
- Como você é careta Angel! Não dê atenção minha deusa, você está linda! – disse Hiroshi.
E lá fomos nós para a tal exposição.
- Hiroshi, que raio de exposição é essa? Só tem gibi, desenhos animados e um montão de gente com roupas estranhas!
- Minha deusa não são gibis, mas sim livros ilustrados. Aqui estão reunidas as melhores obras dos melhores desenhistas e roteiristas de Mangás do mundo!
- Hiroshi, que graça tem ver gibis, ver esse montão de gente vestidas com roupas estranhésimas...
- Angel, isso é pra quem tem sensibilidade, e não para pessoas que não tem o dom de apreciar as coisas realmente boas da vida. Bem-vinda ao meu mundo! Bem vinda ao mundo do COSPLAY*!
 - Coisa boa é ver essas meninas quase nuas desenhadas com roupinhas de colegial?... espere aí! Foi por isso que você me pediu para me vestir assim, seu tarado?! – disse Sami?
 - Caaalma minha deusa! Você está linda!!! Eu sempre quis ter uma namorada que realiza-se minas fantasias, rsrsrsrsrs!
- Bom... se é assim, então não tem problema...mas fiquei bonita mesmo???
Depois dessa conversa, eles continuaram vendo comentando sobre os “livros ilustrados”. Eu achava tudo muito engraçado e percebia que as pessoas que estavam ali se divertiam sem precisar de nenhum tipo de droga. Era melhor assim, elas conseguiam sentir com maior intensidade as coisas à sua volta.
Hiroshi e Samara estavão tão felizes e se divertiam muito até mais que nas baladas que curtíamos.
Roberto tinha razão. A vida é bem melhor quando vivida de maneira certa e sem medos, só curtindo o momento, porque se hoje temos um problema, amanhã esse problema de uma maneira ou de outra acaba se resolvendo. É como um dia chuvoso que estraga nosso passeio, mas não chove para sempre! Um dia o sol volta e o passeio se realiza.
Seis meses se passaram desde o meu primeiro sonho com o Beto. Eu me encontrava mais ajuizada. Meus pais que antes disso só pensavam em bens materiais, e depois do susto comigo, aprenderam como era gostoso ajudar a quem precisava. Nós três nos tornamos voluntários em uma creche e ajudávamos a um asilo. Promovíamos festas beneficentes e outros amigos de meus pais começaram a participar também.
Eu estava muito feliz, e aprendendo que a felicidade estava em viver e ajudar ao próximo, pois todos somos necessitados de auxílio.
Em uma noite, após termos voltado de uma dessas festas beneficente...

- Angel, acorde! Vamos conversar um pouco?
- Beto, meu anjo da guarda! Como é bom vê-lo novamente!
- Hoje, meu anjo, vou levá-la para conhecer os dois lados da vida. Sei que você e seus pais melhoraram muito, mas isso será  preciso para que você possa entender algumas outras coisas. Pronta?
- Então vamos! Estou ansiosa!!
Roberto primeiro me levou à uma clínica de aborto e me mostrou o quanto é horrível esse tipo de lugar. Ele me explicou que as moças não se preveniam e acreditando que só a vizinha poderia engravidar, e acabavam assim engravidando de forma irresponsável. Procuravam então aquele lugar para resolver seu “problema”.
Em um primeiro momento fiquei com pena delas, pensando como elas poderiam levar aquela gravidez adiante sem apoio nenhum, mas Beto me explicou:
- Sempre existe ajuda. No começo é difícil sim, mas com fé em Deus, tudo se resolve. O aborto cria uma dívida enorme para com o espírito que iría reencarnar, e após sua morte prematura a ex-futura mãe sofrerá muito até conseguir se recuperar**.
- Mas elas se recuperam integralmente?
- Não... sempre ficam seqüelas. É algo realmente terrível e muito triste para ambos.
Saímos da clínica e fomos para uma boate.
Continua...
* Imagem de referencia 

** Livro Deixe -me Viver- Irene Pacheco Machado-Psicografado pelo espírito Luiz Sergio-
 Luiz Sérgio mostra a história real do tormento por que passa um abortado e as conseqüências desastrosas para os que praticam o aborto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema de Cora Coralina

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina

Eu e o Tempo ( Pris Jardim)

Vou andando... ...caminhando Vejo o novo Aprendo com o velho
No riacho desfaço meu cansaço Vejo o peixe, o pássaro Retomo o passo
Perambulo no tempo Me perco Me acho E volta o cansaço
Agora as pernas falham O lho o espaço Conto o que aprendi Revejo o que vivi
Descanso me refaço Ando e paro Agora me desfaço
Pris Jardim

A Criança e o Adulto

A criança brinca com seu brinquedo distraída, o adulto olha atento a criança que está brincando e perdida em seus pensamentos.
Seus pensamentos na verdade são sonhos, enquanto brinca realiza o desejo de um futuro certo para ela.
O adulto olha a criança e se lembra de quando era criança, de seus sonhos e certezas e de como tudo ficou diferente e pensa: " Santa ingenuidade que nos faz tão bem, bom seria ser criança que não pensa, só brinca".
A criança olha o adulto e pensa: "Que bom que seus sonhos se realizaram e ele agora só pensa que tudo deu certo".
Ambos se entre olham e sorriem, a criança volta a brincar e a sonhar e o adulto volta a observar a criança e a suspirar: " Santa ingenuidade".

Pris Jardim