Pular para o conteúdo principal

Sonhos de um Anjo ( Pris Jardim) Parte Final


- Beto, aqui eu já sei. As pessoas se deixam influenciar pelos espíritos e se drogam e fazem sexo sem pensar nas conseqüências.
- Meu anjo. As pessoas fazem o que querem fazer, e se elas se deixam influenciar, é por que querem de livre e espontânea vontade e não fazem nada para mudar. Mas nem todas as pessoas que estão aqui sofrem obsessão, algumas se drogam por prazer, sem nem pensar nas conseqüências de seus atos para com seu corpo e seu espírito.
- Pensei que todas eram obsedadas!
- Não. No seu caso por exemplo, no começo você não era obsedada, mas com o tempo você atraiu para si espíritos afins e quando tentou parar eles tentaram impedi-la, mas graças a Deus você foi mais forte e conseguiu.

- Ûfa!!! Estou cansado só de ouvir. Que bom que apareceu esse “anjo” em sua vida! – disse Toninho.
-Quer que eu continue ou posso parar por aqui?
- NÃO, CONTINUE, CONTINUE!!!

Beto esta feliz com meu progresso e depois de ter me levado à aqueles dois lugares, decidiu me mostrar o lado “B”.
Fomos à uma festa, e qual não foi minha surpresa ao ver jovens dançando, brincando e se divertindo em um ambiente totalmente tranqüilo, livre de qualquer tipo de drogas.
- Beto, se alguns meses atrás alguém me contasse sobre esse lugar eu não acreditaria!
- Eu lhe trouxe aqui para mostrar-lhe que há diversão longe da perversão. Sem drogas, namorados se respeitando, muita alegria e confraternização entre todos.
- Beto, hoje sei o que tudo isso representa. Esses jovens também tem seus problemas, dúvidas e inseguranças mas não buscam nas drogas e nem no sexo a fuga ou solução dos mesmos.
Essa festa para qual o Beto em levou era simplesmente uma reunião entre amigos, pessoas que se gostavam, se afinavam e se aceitavam mutuamente. Se reuniam pelo simples prazer de estarem juntos.
Depois dessa festa...

- CARAMBA! Que noite mais agitada, heim? – Disse Toninho.
- Posso continuar???... como eu ia dizendo:

Depois dessa festa, Beto e eu fomos à um lugar lindo! Havia muita gente lá, principalmente adolescentes. Era uma colônia para jovens no plano espiritual, um lugar calmo, onde todos se respeitavam e transmitiam um amor sublime entre eles. Fiquei maravilhada com aquele lugar!
- Beto, é pra cá que virei quando desencarnar?
- Não sei lhe dizer, mas é aqui que eu moro agora. Lhe trouxe até aqui por que você está devidamente preparada, equilibrada e principalmente por que eu queria muito que você visse como é lindo esse lugar. Todos os jovens que desencarnam sem muitas atribulações espirituais vem para cá se aqui for o lugar deles, pois essa é apenas uma dentre as muitas moradas da casa do Senhor.
- É simplesmente maravilhoso... estou até sem fôlego!
Aquele lugar era lindo. Conheci alguns amigos do Beto e depois de algum tempo, para minha tristeza, voltamos para meu quarto.
- Beto, nunca vou esquecer o dia de hoje. Foi maravilhoso, obrigada!
-Fico feliz por ter cumprido minha missão, e mais feliz por poder ajudar uma pessoa da qual eu sempre amei muito...

- ÊÊÊÊÊ....
- Posso continuar, Toninho?
- Ta bom.Vai, continua!

- ...como um irmão, e como tal não ficaria em paz se não pudesse lhe orientar. Minha missão aqui está cumprida. Fique com Deus e nunca se esqueça de agradecer a Ele pelo simples fato de estar viva!
- Eu prometo!!

- Acordei feliz no dia seguinte, mas com uma sensação de que aquela havia sido a última vez que eu tinha sonhado com o Beto. Oito anos depois, estamos nós aqui. Eu quase me formando em medicina, querendo depois me especializar em pediatria e morando com o homem mais “tchucutchucu” do mundo!
- Ahhh... adoro quando você massageia meu ego dessa forma! Acreditando ou não nessa história toda, a verdade é que tudo isso te fez muito bem... mas e a Sami e o Hiroshi? Que fim levaram??
- Bem, aqueles doidos se casaram e tiveram um lindo mulatinho de olhos puxadinhos...a coisa mais linda! O Miguel é a razão da vida deles. Disso tudo eu aprendi que a vida só vale a pena se for vivida pela bondade e pela alegria de simplesmente estar viva e poder servir.
 - Minha querida, foi tudo muito bom, mas o que você acha de irmos dormir agora?... mas apenas uma única pergunta antes de dormirmos: O Beto nunca mais voltou?
- Depois daquela noite, não.
- ...adversário terrível esse Beto, hehehe...
- Seu bobinho... te amo! Boa noite!
- Boa noite querida!

Angélica e Antônio dormiram rápido e profundamente, um sono calmo, suave, digno de crianças.
Passado algum tempo, Angélica sente alguém tocar suavemente em seu ombro e escuta:
- Meu anjo, acorde! Vamos conversar um pouco?


Fim...

Escrito por Pris Jardim
Colaborador:  Eder Benedetti

Comentários

Lucinha disse…
Eu adorei esta história!! Acompanhei cada capítulo... Foi você quem escreveu?

Um grande beijo e ótimo domingo!

Fique com DEUS :)
flavia disse…
Lindooo adoreiii,qdo será a proxima história?queremos bissss
parabéns pelo dom maravilhoso q vc tem,poucos escritores consegue transportar seus leitores ao fantastico mundo da imaginação,para q possamos vivenciar a cada palavra lida.
Continue por favor nos presentiando com esses tesouros.bjss
qdo sera mesmo a proxima estória?kk

Postagens mais visitadas deste blog

Poema de Cora Coralina

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina

Eu e o Tempo ( Pris Jardim)

Vou andando... ...caminhando Vejo o novo Aprendo com o velho
No riacho desfaço meu cansaço Vejo o peixe, o pássaro Retomo o passo
Perambulo no tempo Me perco Me acho E volta o cansaço
Agora as pernas falham O lho o espaço Conto o que aprendi Revejo o que vivi
Descanso me refaço Ando e paro Agora me desfaço
Pris Jardim

A Criança e o Adulto

A criança brinca com seu brinquedo distraída, o adulto olha atento a criança que está brincando e perdida em seus pensamentos.
Seus pensamentos na verdade são sonhos, enquanto brinca realiza o desejo de um futuro certo para ela.
O adulto olha a criança e se lembra de quando era criança, de seus sonhos e certezas e de como tudo ficou diferente e pensa: " Santa ingenuidade que nos faz tão bem, bom seria ser criança que não pensa, só brinca".
A criança olha o adulto e pensa: "Que bom que seus sonhos se realizaram e ele agora só pensa que tudo deu certo".
Ambos se entre olham e sorriem, a criança volta a brincar e a sonhar e o adulto volta a observar a criança e a suspirar: " Santa ingenuidade".

Pris Jardim