Pular para o conteúdo principal

Nossa Vidas- 7º Parte ( Pris Jardim)


- O que aconteceu com você Carla?
- Nada só estou cansada da viagem.
- Então porque seus olhos estão vermelhos? Por que você chorou?
- Não chorei não.
- Sei que você já conhecia Rodolfo e sei que ele veio atrás de você. O que eu não sabia era que você havia se apaixonado por ele.
Naquele momento abracei forte meu irmão e chorei. Marcelo então me contou toda a historia e o porque de Rodolfo se interessar por Juliana.
- Então ele achou que eu havia brincado com ele?
- Como você teve que sair as pressas da casa da vovó e não o avisou, ele achou que você não gostava dele, afinal ele ficou horas te esperando e você não apareceu.
- E quando ele veio você não explicou o que havia acontecido?
- Expliquei, mas ele não se conformou e Juliana é muito envolvente e acabou por seduzi-lo já que você não voltava.
- Isso é injusto eu estava cuidando de nossa avó e não tinha tempo para romances, e como poderia escrever-lhe, sendo que só nos encontramos uma única vez.
- Então minha querida, não reclame se recomponha e aceite os joguetes da vida. Não sei se ele de fato te ama, ou amou, só sei que agora é oficial e logo depois de meu casamento eles ficaram noivos.
Marcelo deixou meu quarto e fiquei lá pensando em como conseguiria conviver com meu grande amor sem demonstrar meus sentimentos.
O casamento de Marcelo chegou e foi uma grande festa. Todos brindavam ao novo casal e o Natal. Meu pai estava muito feliz, com toda a família reunida.
Já era tarde da noite quando me retirei da festa. Marcelo e Ana haviam ido para sua nova casa e pela manhã embarcariam para a Grécia, antigo sonho de Marcelo.
Depois de me despedir do meu irmão voltei para casa e quando já entrava em meu quarto Rodolfo me puxou pela mão para dentro do quarto.
- O que faz aqui, saía, se meu pai nos encontra aqui vai haver um escândalo.
- Não posso seguir minha vida com essa dúvida.
- Que duvida?
- Você me ama?
- Que importa isso agora, mas alguns dias você ficará noivo de Juliana.
- Preciso saber, ama ou não?
- Como posso te amar se só nos vimos uma vez.
-Eu sou um tolo achando que você  tinha sentido o mesmo que eu, eu vim a sua procura para me casar com você e no fim vou casar com sua irmã caçula.
- Coisas da vida meu caro, mas Marcelo disse o que havia acontecido por que você não me esperou? Já que está dizendo que me amava e queria casar-se comigo?
- Porque... por que...
- Viu, o que sentiu por mim foi qualquer coisa e não amor.
- Você não me respondeu.
- Não respondi e nem vou.
Como um louco Rodolfo me agarrou e beijou-me  como se fosse o fim do mundo, eu parecia estar em uma montanha russa de emoções.
- Pare com isso. - Gritei empurrando Rodolfo.
- Já tenho minha resposta.
Rodolfo saiu e depois daquele dia só nos falávamos o necessário. Trocávamos olhares, sem dizer uma palavra. Não imagiva que meus irmãos haviam percebido o que estava acontecendo.

Continua...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema de Cora Coralina

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina

A Criança e o Adulto

A criança brinca com seu brinquedo distraída, o adulto olha atento a criança que está brincando e perdida em seus pensamentos.
Seus pensamentos na verdade são sonhos, enquanto brinca realiza o desejo de um futuro certo para ela.
O adulto olha a criança e se lembra de quando era criança, de seus sonhos e certezas e de como tudo ficou diferente e pensa: " Santa ingenuidade que nos faz tão bem, bom seria ser criança que não pensa, só brinca".
A criança olha o adulto e pensa: "Que bom que seus sonhos se realizaram e ele agora só pensa que tudo deu certo".
Ambos se entre olham e sorriem, a criança volta a brincar e a sonhar e o adulto volta a observar a criança e a suspirar: " Santa ingenuidade".

Pris Jardim

Parabéns para todas as Mães !