Pular para o conteúdo principal

Nossa Vidas- 9º Parte ( Pris Jardim)


- Se tiver alguém aqui que possa impedir que esse casal se case que fale agora ou se cale para sempre.
-Eu tenho padre- Todos olharam para Silas- Ele não ama essa mulher ele ama a irmã dela.
O chão sumiu debaixo dos meus pés, Rodolfo me olhou e nossos olhares então falaram por nós, sem dizer palavra, Rodolfo saiu do altar e veio em minha direção, me pegou pelo braço e saímos os dois correndo dali.
No fundo ouvíamos as pessoas gritando,xingando , choros, mas naquele momento não pensei em ninguém, só em mim. Já havia perdido muito tempo da minha vida pensando nos outros e agora que tinha meu amor ao meu lado o mundo podia acabar que eu não iria ligar.
Fugimos dali para um sítio que Rodolfo tinha herdado de um tio seu no interior de São Paulo.
Por alguns dias foi mágico, ninguém tinha vindo atrás de nós até que um dia batem a porta quando eu abri quase morri, era meu pai.
-Papai, o que faz aqui?
-Você ainda pergunta sua desavergonhada.
-Por favor papai, não fale assim comigo.
Ele entrou e então vi que Marcelo tinha vindo com ele, os dois entraram e meu pai foi direto ao assunto.
- Só estou aqui pra lhe informar que a partir de hoje você não é mais minha filha, que sua mãe e sua irmã quase morreram de vergonha e que você não deve nunca mais nos procurar.
- Mas papai, não é justo, fiz a coisa errada sim, mas se eu não tivesse que viajar tanto, nada disso teria acontecido, a culpa também é do senhor e...
Não terminei a frase, meu pai me deu um tapa no rosto que quase fui ao chão se não fosse por meu irmão...
-E fosse ainda me culpa, você e esse rapaz são dois irresponsáveis, como puderam fazer isso com a Juliana? Vocês só pensaram no que queriam, agora vocês vão poder ficar juntos, vivendo o amor de vocês, mas na miséria, porque enquanto eu estou aqui falando com você o pai dele está tendo a mesma conversa com ele.
Essas palavras caíram como uma bomba em minha vida, nunca fui de luxo, mas Rodolfo presava muito as regalias que seu dinheiro podia te dar.
 Meu pai saiu sem me dizer mais nada, meu irmão quando saiu me entrou uma carta, sem que meu pai pudesse ver e se foram.
Quando Rodolfo voltou me contou que ele agora só tinha aquela casa e aquelas terras, nada mais, eu estava tão surpresa com tudo aquilo que nem abri a carta, guardei no meu das minhas roupas que meu pai havia me trazido junto com a noticia.
O tempo foi passando tive três filhos, mas minha vida piorava a cada dia por causa do meu remorso e da distancia de Rodolfo. Ele me culpava por tudo, não gostava de trabalhar e eu cuidava sozinha da horta que vendia pra ter algum dinheiro e para nunca faltar comida aos nossos filhos.
Depois de alguns anos fiquei sabendo que Juliana havia se casado com Guilherme o amigo de Rodolfo e de meu primo Silas. Descobri que Silas tinha planejado tudo com Guilherme, na esperança de Rodolfo abandonar Juliana no altar e fugir comigo e deu certo. Rodolfo fugiu e Guilherme como passava os dias consolando Juliana, acabou por despertar nela carinho por ele e acabaram se casando.
Juliana não era feliz e eu me culpava por isso, meus outros irmãos também se casaram, mas não sabia como estavam.
Um dia Rodolfo, que nem de longe lembrava mais aquele belo rapaz que havia me apaixonado me disse que seu pai havia mandado uma carta pedindo que ele o fosse ver, Rodolfo saiu feliz. Meu sogro já era velho e Rodolfo viu aí uma chance de voltar às boas com o pai. Eu fiquei feliz também por ele.
Rodolfo não volto naquele dia nem no outro, eu não podia ir traz dele por causa das crianças, só me restava esperar.
Alguma coisa dentro de mim dizia que Rodolfo não voltaria mais, mas acreditava que era bobagem minha, até que um dia parou uma carruagem na  porta de casa, eu estava no quintal sai correndo na esperança de ser Rodolfo de volta, mas...

Continua...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema de Cora Coralina

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina

A Criança e o Adulto

A criança brinca com seu brinquedo distraída, o adulto olha atento a criança que está brincando e perdida em seus pensamentos.
Seus pensamentos na verdade são sonhos, enquanto brinca realiza o desejo de um futuro certo para ela.
O adulto olha a criança e se lembra de quando era criança, de seus sonhos e certezas e de como tudo ficou diferente e pensa: " Santa ingenuidade que nos faz tão bem, bom seria ser criança que não pensa, só brinca".
A criança olha o adulto e pensa: "Que bom que seus sonhos se realizaram e ele agora só pensa que tudo deu certo".
Ambos se entre olham e sorriem, a criança volta a brincar e a sonhar e o adulto volta a observar a criança e a suspirar: " Santa ingenuidade".

Pris Jardim

Parabéns para todas as Mães !